Centro do Cenáculo e TESE apresentam pedido de co- financiamento à Embaixada Portuguesa


Sendo o arroz a base da dieta alimentar para a maior parte dos Moçambicanos, a crise alimentar mundial fez aumentar os preços deste e de outros cereais, com consequências dramáticas para as populações mais vulneráveis, que passaram a ter ainda mais dificuldade no acesso a este tipo de alimentos. Em 2003, a linha de pobreza na população rural da província de Gaza situava-se nos 0,26$USD por pessoa por dia, um dos valores mais baixos do país. A agricultura de subsistência é a principal actividade económica da região, e 56% da população possui menos de 1 Ha para cultivo. A pobreza é particularmente sentida nas crianças e jovens órfãos que encontram nas Instituições de Acolhimento o apoio que a família já não consegue garantir.

O Centro do Cenáculo está dependente de donativos para a satisfação das necessidades básicas dos crianças, em especial das necessidades alimentares, mais susceptíveis à especulação sobre o preço dos alimentos. A situação torna-se crítica quando os donativos diminuem, reflectindo-se em déficites nutricionais dos beneficiários. A instituição possui um terreno de 18 Ha em Mongole (Distrito da Macia), com as características próprias para a produção de arroz, nomeadamente um sistema de irrigação construído ainda no periodo colonial. Apesar de alguma experiência na produção deste cereal, o Centro do Cenáculo não possui o conhecimento técnico e a capacidade financeira para iniciar uma produção sustentável de arroz que garanta a satisfação das necessidades de hidratos de carbono dos COV's da comunidade de Chicumbane. É neste sentido que o Centro do Cenáculo, a TESE - Associação para o Desenvolvimento e a Mozfoods desenvolvem este projecto de empreendedorismo social.

O Projecto Arroz para Tod@s enquadra-se no Eixo Piroritário II  Desenvolvimento Sustentável e Luta contra a Pobreza do Programa Indicativo de Cooperação (PIC) Portugal-Moçambique 2007-2009, que tem como Objectivo Global "contribuir para a redução da pobreza através de uma abordagem de médio prazo que permita a promoção de um desenvolvimento económico e humano sustentável". Tem como objectivo apoiar o Centro das Irmãs Servas do Cenáculo na produção económica e ambientalmente sustentável de semente arroz, de forma a garantir a satisfação das necessidades alimentares das crianças e jovens órfãos e vulneráveis da Comunidade de Chicumbane, contribuindo assim para o cumprimento do ODM 1 em Moçambique. Dada a escassez de semente de arroz no país, contribuirá também para o aumento da segurança alimetar em Moçambique. Tem como resultados esperados: R0) Trabalhadores agrícolas e responsáveis do Centro do Cenáculo capacitados na produção sustentável de arroz e gestão da produção; R1) 27 toneladas de semente de arroz produzidas e vendidas no 1º ano de produção; R2) Campanha de produção de arroz do 2º ano preparada e financiada com venda da produção do 1º ano.

A presente proposta prevê uma produção de semente de arroz (4 Ton/Ha) inferior à produtividade máxima deste tipo de solo, estimada em cerca de 6 Ton/Ha, prevendo-se assim possíveis dificuldades que possam surgir e que estão associadas à imprevisbilidade que a actividade agrícola comporta. Paralelamente, neste 1º ano de projecto prevê-se a utilização de metade (9Ha) da área do terreno disponível para plantação (18Ha), estando prevista para o o 3º ano não só o aumento da área produtiva como a introdução de outras culturas que são também a base da alimentação moçambicana, como o milho e o feijão. Assim, o Centro do Cenáculo estará a promover o uso sustentável dos solos e o aproveitamento dos recursos naturais existentes na região. Na lógica dos negócios sociais, o arroz produzido no 2º ano de projecto (previsão de 36 Ton), para além de suprimir as necessidades do Centro do Cenáculo (4 Ton/Ano), permitirá a venda a preços sociais à população carenciada da comunidade de Chicumbane e  intituições de acolhimento de COV's parcerias do Centro do Cenáculo e da TESE. Mais uma vez, as receitas da venda de arroz da campanha do 2º ano serão investidas na preparação da campanha do 3º ano e na satisfação de necessidades do Centro do Cenáculo, contribuindo para a sua autonomia financeira e assegurando o crescimento sustentado do negócio social.

Neste sentido, o Centro do Cenáculo e a TESE, em parceria com a Mozfoods SA (empresa agrícola Moçambicana) concorrem ao Fundo de Pequenos Projectos da Embaixada Portuguesa de Moçambique para co-financiamento deste projecto. A resposta da Embaixada deverá sair no final do mês de Setembro, estando previsto o arranque do projecto para o mês de Outubro.

 Produção de arroz 2009 do Centro do Cenáculo